Como o modelo de gestão de pessoas pode beneficiar a sua empresa?

Aqui na Inventório todo mundo manda bem. E a gente queria mostrar um pouquinho de cada membro para vocês. Dessa vez, quem quis falar com a gente foi a Fernanda, assessora da nossa Gestão de Pessoas.  Nas próximas linhas, ela vai dizer para a gente como ela e as outras meninas da equipe fazem para manter o clima dentro da empresa e te mostrará como fazer o mesmo com o seu negócio. Quer saber quais vão ser os benefícios? Então não perde essa.

 

Olá pessoal! Me chamo Fernanda Cristina e sou assessora de gestão de pessoas. Gostaria de passar um pouco do que eu sei para ajudar você que ainda não estruturou bem a gestão de pessoas ou RH, e poder aplicar conhecimento com boas práticas para ajudar a sua empresa a ter resultados positivos. E pode confiar, porque o pessoal aqui manda muito! Somos responsáveis por manter o clima da empresa e garantir que os membros se sintam felizes, motivados e com muito gás.

Então, como o modelo de gestão de pessoas pode influenciar na sua empresa?

Nos pegamos pensando no por quê ou o quê influência ou pode influenciar a gestão de uma empresa. E chegamos a conclusão de que o mais importante para e dentro do espaço empresarial são as pessoas. Pois são elas que moldam a empresa e fazem ela ser o que ela é. Se as pessoas, ou seja, os funcionários, colaboradores e os próprios donos não se sentem motivados no seu dia-a-dia, a empresa não cumpre com seus objetivos. Se você se identificou, não se preocupe. Nós sabemos o que pode te ajudar a estruturar a gestão de pessoas e vamos te contar. É bem simples e fácil de aplicar, mas o primeiro passo é definir o modelo pelo qual você irá se basear.

O modelo de gestão de pessoas tem como propósito fazer com que o comportamento das pessoas dentro da organização não faça com que a empresa venha a perder. Como exemplo, vamos imaginar uma atendente de supermercado por trás do caixa. Se esta pessoa não estiver dentro de um modelo de gestão apropriado, que a orienta e faz com que ela se sinta parte da empresa, ela pode agir de maneira incoerente com os valores pregados e vividos pela organização e gerar confusão no cliente.

“O comportamento das pessoas no trabalho pode interferir na preservação e na agregação de valor das empresas” (FISCHER, p.12).

A frase sabiamente resume bem a importância do alinhamento entre os funcionários de uma organização. Se o cliente obteve um bom atendimento com certeza, ao sair dessa determinada loja, sairá tendo a certeza de que um dia voltará e com isso, a própria empresa é capaz de agregar valor a ela mesma, já que, com uma atitude simples, conseguiu conquistar e fidelizar um cliente.

O modelo tem que ser visto pela perspectiva contingencial – de que tudo pode ocorrer na empresa -, ou seja, como uma variável dependente, ele tem que ser pensado como resultado. E o profissional de RH tem que ter a capacidade de ler e decodificar tudo aquilo que interfere nas decisões sobre esse modelo.

Segue então algumas dicas de como trabalhar isso melhor para ter a capacidade de verificar tudo aquilo que interfere nas decisões para garantir um ótimo modelo:

  1. Temos que ter uma perspectiva da empresa como um todo e nos questionar em primeiro lugar, quais as competências humanas que seu negócio demanda. Qual que é a sensibilidade do negócio a esse desempenho humano? O que o mercado reconhece como a estratégia do negócio da empresa? No momento em que eu tento perceber qual é o modelo requerido pela estratégia do negócio, eu estou fazendo a gestão de estratégia de RH.
  2. Qual é a competência que o mercado reconhece e qual o ambiente de negócio, o contexto, as variáveis contextuais no qual esse negócio opera.  Os fornecedores, os competidores, como é que eles agem? Disso depende do modelo de gestão com qual eu vou operar.
  3. Que restrições e que estímulos a sociedade ela promove com relação as pessoas? Como é a legislação, como é a consciência de cidadania organizacional daquela sociedade? As características internas, que tipo de tecnologia eu uso? Certa tecnologia exige um padrão de desempenho? O modelo de gestão de pessoas tem que ser coerente com isso. Qual é a forma prática de se utilizar essa ideia de modelos de gestão de pessoas?

E se não sabemos das informações possíveis acima, não saberemos qual modelo aplicar para melhor gerir a gestão de pessoas. Mas não se assustem, quando falamos sobre o modelo de gestão de pessoas, usamos muita teoria. Mas esses modelos tem uma função prática e se soubermos olhar estrategicamente, conseguiremos entender como hoje se comporta a gestão que praticamos em nossas empresas e, consequentemente,  saberemos o que é preciso melhorar.

Agora que você já sabe quais perguntas deve fazer a si mesmo para entender o seu modelo, reflita se essa gestão combina com a estratégia da sua empresa. Abaixo, temos alguns modelos que podem te ajudar a identificar o seu:

Políticas e Práticas de RH Clássico Motivacional Estratégico Competitivo
Planejamento de R.H. Descrição de cargos Perfis comportamentais Missão da função Descrição por competências
Remuneração Fixa Assistência/ Benefícios Estratégia e variável Stock Options
Treinamento e desenvolvimento Instrução programada Desenvolvimento Comportamental Educação (valores, cultura) Gestão do conhecimento
Relações de trabalho Relações sindicais dissídio Relações sindicais dissídio Representação sindical Relações de parceria
Ambiente Organizacional Ambiente comando/controle Pesquisas de clima organizacional Gestão da cultura organizacional Ambientes de aprendizagem
Avaliação de pessoas Por cumprimento do padrão Desempenho, potencial e etc. Da contribuição para a estratégia De performance competências
Transacional Controles administrativos Serviços ao empregado Comunicação interna Serviços compartilhados
Carreiras Por tempo de casa Por tempo e desempenho Por avaliação do comprometimento Por competências

 

Ainda ficou com dúvida? Nós da Inventório EJDM estamos dispostos a esclarecer possíveis questões que possam ajudar na implementação dessa área na sua empresa. Escreva para a gente! rh@inventorio.org.br

Beijos,

Fernanda Cristina